Assine agora| Versão impressa
Publicado em 21/07/2018 às 00:39h - Atualizado em 20/07/2018 às 21:39h Por: Editores

Falhas pontuais não ofuscaram o brilho da visita imperial


Site

 

Texto:Elano Maringá
Edição:Joel Cardoso, em fase final recuperação
 de recente procedimento cirúrgico.

 

 

Em comemoração aos 110 da Imigração Japonesa no Brasil a princesa Mako cumpriu nesta sexta-feira (20) a sua última visita ao Paraná. Na agenda oficial, a princesa visitou Londrina e Rolândia na quinta-feira (19) e ontem (20) em Maringá. A herdeira do trono imperial japonês é a filha mais velha do príncipe Fumihito e da princesa Kiko de Akishino, que visitaram o Paraná em outubro de 2015, durante a comemoração dos 120 anos de relações diplomáticas entre o Brasil e o Japão.


A princesa tem 26 anos e é neta mais velha do imperador Akihito e da imperatriz Michiko, que estabeleceram um forte elo entre Maringá e a terra do sol nascente no ano de 1978, quando a imigração japonesa comemorava 70º. Aniversário. Aqui eles foram hóspedes do suntuoso Hotel Bandeirantes, hoje tombado (ou enrolado) pelo patrimônio público de Maringá.

É formada em Artes e Ciências pela Universidade Cristã Internacional de Tóquio, fez mestrado em Museologia na Universidade de Leicester na Inglaterra. Atualmente está cursando PhD em Artes e Ciências na Universidade Cristã Internacional de Tóquio.   Tem dois irmãos mais novos, a princesa Kako e o príncipe Hisahito. É sobrinha do príncipe Naruhito, o primeiro na linha de sucessão ao trono.

 

O seu pai e o seu irmão mais novo ocupam o segundo e o terceiro lugar na linha da sucessão. Isto acontece porque apenas os homens podem ser herdeiros do trono japonês. Nesta primeira viagem ao Brasil, a princesa Mako programou visita em 14 cidades de cinco estados: SP, PR, AM, PA e RJ. As pequenas falhas no cerimonial de recepção e a ânsia de expositores em registrar a visita da princesa em seus estandes não atrapalharam o brilho e a importância da visita.


Antes de sua viagem oficial ao Brasil, a última visita feita por um membro da família imperial japonesa no território brasileiro foi a do príncipe herdeiro Naruhito, que em março deste ano participou do Fórum Mundial da Água, em Brasília, mas não visitou outras cidades. O Brasil é p país que mais abriga a comunidade japonesa fora do Japão, com cerca de 1,9 bilhão de pessoas

120 anos de Amizade entre  Brasil e Japão

Em 2015 completaram 120 anos de amizade entre Brasil e Japão, firmada com a assinatura do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação em 5 de novembro de 1895. Será, portanto, um ano repleto de comemorações e homenagens.

Na época em que o tratado foi assinado, o Brasil sofria com a falta de mão de obra rural e admitia imigrantes de diversos países, por isso, essa aproximação com o Japão já criava expectativas de que novos imigrantes pudessem vir ao Brasil.

A primeira leva de imigrantes japoneses chegaria ao Brasil apenas em 1908 e hoje, estima-se que a comunidade de nipo-descendentes já agrupe cerca de 1,9 milhão de pessoas. Trata-se da maior comunidade de descendentes de japoneses fora do Japão.

No caminho inverso, a comunidade brasileira que foi se estabelecendo no Japão soma mais de 175 mil imigrantes, o que corresponde à terceira maior comunidade brasileira no exterior. Além da recepção de imigrantes, essa relação também se estreitou no âmbito econômico, passando pelo setor agrícola e industrial, sem contar com as influências culturais.



 

 


 






Ver em PDF


Endereço
Rua Martin Afonso, 1587
Jd. Novo Horizonte - Sede Própria
WhatsApp
(44)99115.2018

E-mail
joelcardoso@globo.com

Telefone
(44) 3026-8585
Eleições 2018 - Você já decidiu seu voto para presidente?




Copyright© - Portal Glup
Central de Atendimento | Anuncie no Glup
JC Mantovan